A Casa da Sabedoria: de como o mundo árabe civilizou e iluminou o mundo ocidental

Quando se pensa no período Medieval, a imaginação primária que preenche a mente concerne a um espaço-tempo dominado pela Igreja Católica, a um sistema econômico que fez a grande massa populacional viver de servidão por muito tempo e a um mundo intelectual relativamente fechado nos preceitos da doutrina religiosa. Porém, este é o pensamento comum somente àqueles que estão imbuídos de uma perspectiva europeia da Idade Média. O que poucos estão cientes é que a Idade Média foi um período que, apesar de a sua fama estar voltada frequentemente a uma Europa supersticiosa e caótica, também ocorreu em outras regiões fora da Europa, em locais que outras sociedades acabaram sendo muitos mais prósperas, e seus feitos contribuíram na formulação da civilização moderna como a conhecemos.

India’s Daughter: uma realidade triste sobre estupros de mulheres na Índia (e no mundo)

Segundo estatísticas do governo indiano, a cada 20 minutos, uma mulher é estuprada na Índia. Em 2011, sua população foi estimada em 1,2 bilhão de habitantes. E, entre tantas pessoas, uma apenas, no ano seguinte a essa estimativa demográfica, se destacou. Era mais uma mulher que cruzou com as pessoas erradas quando o ponteiro do relógio contou mais 20 minutos depois de outro estupro — ocorrido, talvez, a pouca distância de onde Jyoti Singh estava. O crime cometido contra ela foi brutal e, em resposta à tal brutalidade, pessoas se voltaram a protestar contra uma cultura que ainda considera mulheres à parte, frágeis e submissas ao homem.

Quando Napoleão decide conquistar o Egito

Na primavera de 1798, o comandante-em-chefe, Napoleão Bonaparte, partia com seus soldados e, por decisão própria, escolhe 160 dos cientistas, artistas e intelectuais franceses mais brilhantes de sua época para juntarem-se na campanha, quase que pessoal, ao Egito, terra que, outrora, seu herói, Alexandre, O Grande, triunfou como um deus vivo.